-- ANUNCIE AQUI ! ---------------------------------------------------------------------------

05 julho 2016

Siglas aliadas disputarão no Interior




Segundo o presidente do PT no Ceará, Francisco De Assis Diniz, todas as postulações da sigla foram tratadas com Camilo e Cid ( Foto: Lucas de Menezes )
Apesar de fazerem parte do bloco governista que apoia o governador Camilo Santana, algumas siglas vão atuar em lados opostos em diversos municípios cearenses nas eleições deste ano. PDT, PT, PP, PSD e PTB, dentre outras legendas, estão concluindo o fechamento de suas listas para a disputa de prefeituras nos 184 municípios, mas em muitas localidades é praticamente inviável que tais partidos estejam na mesma coligação. Há, inclusive, agremiações situacionistas que deverão se coligar com grêmios opositores ao governo, sem, no entanto, romperem a aliança em âmbito estadual.
Somente em Fortaleza, as siglas aliadas lançaram quatro pré-candidaturas distintas. São elas: Roberto Cláudio tentando reeleição pelo PDT; Luizianne Lins no PT; Tin Gomes postulando pelo PHS; e Ronaldo Martins construindo uma candidatura no PRB. Segundo informaram os presidentes de partidos no Ceará, além da Capital, haverá disputa entre os aliados em vários dos mais importantes municípios do Estado, como no Crato, Juazeiro do Norte, Itapipoca, Pacatuba, Maranguape, São Gonçalo do Amarante e outros.
O PDT, por exemplo, está com 117 pré-candidaturas fechadas nos 184 municípios do Estado, dentre eles Fortaleza, Maracanaú, Juazeiro do Norte, Sobral, Itapipoca, Iguatu, Aracati, Amontada, Acopiara, Baturité e Icó. Algumas destas cidades também terão postulações apoiadas ou encabeçadas pelo PT e pelo PSD, conforme líderes disseram ao Diário do Nordeste.
O PSD é o parceiro mais importante do PDT pela relação existente entre a sua atual presidente, a prefeita Patrícia Aguiar, de Tauá, com o grupo político liderado pelo ex-governador Cid Gomes, a primeira liderança do PDT no Ceará. Mesmo assim, não estarão coligados em todos os locais em que disputarão o comando municipal.
Em Juazeiro do Norte, há um impasse entre as legendas aliadas, visto que PT, PDT, PSD e até PTB querem lançar nomes para a disputa de prefeito. O pedetista André Figueiredo já chegou a dizer que os petistas conseguiram emplacar uma pré-candidatura em Barbalha, enquanto o PP, no Crato. Por isso, para ele, o ideal seria uma postulação do PDT em Juazeiro. Isso, porém, é contestado pelos presidentes dos demais partidos.
Listas
De acordo com o presidente do PT no Ceará, Francisco De Assis Diniz, a lista completa dos municípios onde o partido terá candidaturas ainda não foi concluída, mas a maioria das cidades que disputará está dentro do arco de aliança do Governo do Estado. Contudo, segundo ele, mesmo sendo poucos, alguns municípios poderão ter candidaturas de aliados em lados opostos.
"Tudo ainda é provisório e temos uns 17 dias para concluir toda a lista (as convenções partidárias só serão realizadas a partir do dia 20 próximo). Nessa eleição, a palavra final sobre alianças será do diretório estadual", apontou De Assis. Conforme informou o dirigente petista, a maioria das alianças tem sido feita com PDT e PROS, além dos demais partidos que compõem a base. "Haverá coligações fora? Haverá, mas ainda não sabemos. Em Maracanaú ainda não está resolvido. Lá estamos na composição da atual gestão e por isso é caso emblemático".
Diniz disse ainda que, inicialmente, tratou de todas as postulações do PT junto ao governador Camilo Santana e com o ex-governador Cid Gomes, que é liderança do PDT no Estado. Para tentar pacificar com o bloco formado por PSD e PMB, o dirigente ressaltou que também dialogou com os presidentes destas siglas, o deputado federal Domingos Neto (PSD) e sua mãe, a prefeita do município de Tauá, Patrícia Aguiar (PMB).
Autonomia
Domingos Neto afirmou que existem questões que são problemas do próprio município, mas ressaltou que seu partido, o PSD, terá autonomia para tomar decisões. No último fim de semana, o partido decidiu que terá candidatura própria no município do Crato. Acontece que, antes desta decisão, a sigla tinha se comprometido com apoio ao nome do deputado estadual Zé Ailton Brasil, do PP, que foi o escolhido da sigla e do governador Camilo Santana, para encabeçar a chapa governista naquela cidade. O PT é outro que está ameaçando romper com a pré-candidatura de Brasil no Crato.
"Existem resistências de pré-candidatos, como no Crato. O PSD vai disputar contra aliados em muitos municípios. Como é uma questão local, existem casos onde estamos aliados até de partidos da oposição. Disputamos contra o PDT em Icó, São Gonçalo do Amarante, Iguatu, Tianguá e outros", disse.
O PSD tem discutido lançar candidatura própria ao pleito em dezenas de municípios cearenses, dentre eles Caucaia, Juazeiro do Norte, Itapipoca, Maranguape, Iguatu, Quixadá, Pacatuba, Canindé, Crateús, Aquiraz, Quixeramobim, Aracati, Viçosa, Acopiara, Eusébio, Itaitinga, Granja, Beberibe e Itapajé.
Já o vice-presidente do PP, Antônio José Albuquerque, afirmou que a sigla está fazendo um levantamento de todos os municípios cearenses onde o grêmio deve ter candidatura própria, visto que alguns pré-candidatos desistiram e outros surgiram. Uns têm desistido pelas dificuldades financeiras e outros por questões políticas locais. "Vamos ter várias candidaturas e dar um esforço especial no Crato, onde temos a pré-candidatura de Zé Ailton Brasil", ressaltou o dirigente.
Com o lançamento da pré-candidatura do PP no Crato, o PSD lançou também um nome, não fechando questão em relação ao apoio a Brasil. O PT, por sua vez, questiona a indicação do vice na chapa. "Estamos conversando com os partidos e esperamos pacificar a situação com PT e PSD", disse o deputado que postula a vaga de prefeito do município da Região do Cariri.

DN
← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial