O retorno do deputado federal Adail Carneiro ao comando do Partido Progressista (PP) poderá ser uma pedra no sapato do prefeito Roberto Cláudio, pré-candidato a reeleição em Fortaleza. Adail, que estava afastado do comando da sigla desde maio passado, retornou ao comando do partido no Ceará por decisão da desembargadora Vera Lúcia Correia.
Apesar de afirmar que não tem restrições a nenhum candidato a prefeito de Fortaleza, nos bastidores a história é outra. O pepista, que ficou conhecido por trair o governador Camilo Santana, de quem era secretário, ao votar a favor do impeachment da presidente Dilma Rousseff para obter o comando do partido, já estaria conversando com o Capitão Wagner, pré-candidato do PR a Prefeitura, que já conta com os apoios do PMDB e do PSDB.
Tendo a quarta maior bancada da Câmara dos Deputados, com 47 deputados federais, o partido deverá ter um bom tempo em rádio e TV. O PP já estava nas contas do prefeito Roberto Cláudio em seu arco de alianças que deverá ter em torno de 15 partidos, mas na somatória o tempo em rádio e TV do atual prefeito deveria ainda ficar abaixo dos demais candidatos como Capitão Wagner e Luizianne Lins.
O PP após a saída de Adail foi vitaminado com o apoio do presidente da Assembleia Legislativa, Zezinho Albuquerque, que articulou a migração de seis deputados estaduais e vários prefeitos para a sigla. Desafetos afirmam que Adail está fechando diretórios e perseguindo adversário dentro do partido. Ele nega. O deputado afirma que espera um convite do prefeito Roberto Cláudio para uma reunião e que já conversou com os demais candidatos.