-- ANUNCIE AQUI ! ---------------------------------------------------------------------------

04 setembro 2018

Haddad: Lula vai recorrer ao STF e as Nações Unidas



Vice na chapa de Lula, ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad (PT) disse que os advogados vão solicitar hoje liminar ao Supremo Tribunal Federal ( FOTO: AFP )

Curitiba/Brasília. O PT vai recorrer junto à Organização das Nações Unidas (ONU) e também ao Supremo Tribunal Federal (STF) contra a decisão tomada na noite de sexta, pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que rejeitou a candidatura do ex-presidente Lula à disputa para a Presidência da República.



A informação foi dada por Fernando Haddad, vice na chapa de Lula, após visitar o ex-presidente, preso na sede da Polícia Federal em Curitiba. A decisão foi anunciada na tarde de ontem, após reunião de quatro horas e meia na Superintendência da Polícia Federal, em Curitiba, onde Lula está detido desde o dia 7 de abril. Haddad esteve acompanhado da presidente do PT, Gleisi Hoffmann, e do advogado de defesa Cristiano Zanin.

"Nós não imaginávamos que o Brasil contrariaria uma determinação de um órgão internacional e um tratado que nós subscrevemos e foi aprovado pelo Congresso Nacional. Nosso entendimento era de que o Brasil reconheceria os direitos políticos e civis do presidente Lula", explicou Haddad. "Vamos apresentar os recursos no prazo que o STF nos deu. Vamos apresentar hoje para ONU e amanhã para o Superior Tribunal, com pedido de liminar", disse.

Ontem, a vice-presidente do Comitê de Direitos Humanos da ONU, Sarah Cleveland, criticou a decisão de negar o registro da candidatura ao Palácio do Planalto do ex-presidente.

Sobre sua participação no horário eleitoral, Haddad disse que poderá ocupar todo o tempo do partido. "Sou candidato a vice-presidente, tive a candidatura registrada e vou poder figurar até 100% do horário eleitoral".

Propagandas

Ontem pelo menos três decisões do TSE foram tomadas no sentido de restringir a participação de Lula nas propagandas eleitorais de rádio e TV. No fim da noite, o ministro Sérgio Banho suspendeu inserções televisivas estreladas pelo petista.


Mais cedo, o ministro Carlos Bastide Horbach, do TSE, determinou, ontem, que a coligação do PT/PCdoB/PROS deixe de veicular na TV a propaganda eleitoral exibida no sábado (1º), que fez referência à candidatura do ex-presidente da República.

Pela manhã, o ministro Luis Felipe Salomão, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), aceitou o pedido do Partido Novo e suspendeu a propaganda eleitoral do PT na rádio, em que o ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva (PT) é apresentado como candidato, como o próprio ministro descreve.

DN
← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial