-- ANUNCIE AQUI ! ---------------------------------------------------------------------------

18 outubro 2018

Tricolor 100 anos: Momentos que o Leão foi destaque nacional



O Fortaleza Esporte Clube comemora cem anos de fundação nesta quinta-feira, 18. Atual líder do Campeonato Brasileiro da Série B, o clube já está fazendo as contas para o acesso à elite do futebol do País.

Não é a primeira vez que o time ganha relevância nacional. O POVO Online lista momentos em que o tricolor além das divisas do Estado e levou seu nome a ter destaque nacional.

1946-1947 - O "Nordestão" da época
Adicionar legenda

(Foto: Arquivo O POVO)

Também conhecida como Torneio do Nordeste, a Copa Cidade de Natal foi uma competição realizada em 1946. Toda a disputa ocorreu na capital do Rio Grande do Norte, sendo encerrada em 21 de maio 1947, com o jogo entre Fortaleza e América-RN. O tricolor cearense venceu por 3 a 1 a partida de volta, após empate em 2 a 2 na primeira partida.

Recepcionado com grandes festividades, a campanha do Fortaleza foi retratada como “brilhante” pelo O POVO naquele ano.


1960 - Vice-campeão da Taça Brasil
Adicionar legenda

Matérias do O POVO retrataram a vitória do Fortaleza sobre o Santa Cruz e as finais contra o Palmeiras. (Montagem: Izadora de Paula)

"Escreveu com pena de ouro a mais gloriosa página do futebol cearense de todos os tempos", noticiou O POVO à época, quando o Fortaleza avançou à final da II Taça Brasil, em 1960, mais importante competição nacional da época. Após vencer o Santa Cruz-PE por 2 a 1, a equipe estava com possibilidade de tornar-se a próxima campeã nacional – fato que não aconteceu.

Em duas partidas decisivas contra o Palmeiras, o Leão foi derrotado no estádio Presidente Vargas, por 3 a 1, e goleado por 8 a 2 no Pacaembu, em São Paulo. Mesmo com a derrota "arrasadora", porém, "o Tricolor de Aço cearense batalhou com aquele seu espírito de luta que é conhecido".

1970 - Campeão do Norte e Nordeste

"A brilhante campanha do Fortaleza no Torneio Norte-Nordeste de 1970 foi coroada com a conquista do título do certame regional promovida pela CBD, envolvendo as principais equipes da Bahia ao Amazonas. Mesmo perdendo de 2x1 para o Sport, ontem à tarde, na Ilha do Retiro, o Tricolor de Aço venceu a competição pelo saldo de dois gols", noticiou O POVO. O confronto aconteceu em 31 de janeiro de 1971.


No Presidente Vargas, o Tricolor havia empatado com o Sport em 0x0. O POVO destinou espaço à campanha do campeão:


"O futebol cearense voltou a brilhar no Torneio Norte-Nordeste. Conseguiu suplantar os demais estados conquistando o Norte-Nordeste, por meio do seu representante, o Fortaleza Esporte Clube, que iniciou a competição bastante desacreditado, pois vencera a primeira partida no Presidente Vargas, por 3 a 0, com gols marcados por intermédio de Mimi (2) e Erandir e na segunda peleja atuando em Teresina, no dia 15 de outubro, sofria o seu primeiro revés. Entretanto, as coisas se modificaram no dia 21 e o 'clube da garotada' obtinha o seu segundo triunfo enfrentando o MAC."

Veja como foi o rendimento do Leão:
Adicionar legenda

(Foto: Arquivo O POVO)

O regulamento do Norte-Nordeste


O regulamento do campeonato era um tanto confuso. Dividia os clubes do Norte e Nordeste em grupos. Cinco grupos abrigaram times do Nordeste e um grupo, os times do Norte. Postularam o trófeu 30 times, sendo seis destes do Norte.


No grupo 1, encabeçado pelo Fortaleza - único grupo com oito times -, todos se enfrentariam em jogos de ida. Os dois melhores na tabela estariam com vaga assegurada no hexagonal final do grupo do Nordeste.

Os outros vinte e dois clubes nordestinos se enfrentavam, também em jogos apenas de ida, dentro dos respectivos grupos. Os dois mais bem classificados destes grupos - oito clubes - se enfrentariam para preencher as quatros última vagas no hexagonal. Nesta fase sobraram: Sport, Fortaleza, Flamengo (Teresina), Galícia (Salvador), Ceará e Campinense (Paraíba).


Destes seis, o Sport classificou em primeiro lugar, seguido pelo Fortaleza. A fase final foi decidida em quadrangular, agora com jogos de ida e volta. Avançaram Fortaleza e Sport pelo Nordeste e Fast e e Tuna Luso pelo Norte.


2002 - Outra final de Campeonato Brasileiro

A reportagem do O POVO enviou o repórter Arthur Ferraz a Florianópolis para contar a história da segunda final de campeonato nacional do Leão. "Confusão, pancadaria, tensão. Assim foi a decisão da Série B do Campeonato Brasileiro", sintetizou o jornalista. Na primeira partida, no Castelão com mais de 50 mil torcedores, o Fortaleza venceu por 2 a 0, gols de Vinícius, artilheiro do tricolor na temporada, e Finazzi.
Adicionar legenda

(Foto: Arquivo O POVO)

No jogo de volta, o técnico do Fortaleza, Luis Carlos Cruz, mandou a campo com atletas que mais tarde viriam a ser ídolos no Pici. Jéferson; Marcão, Ronaldo Angelim e Erandir; Chiquinho, Dino (substituído por Finazzi), Kel, Juninho (substituído por Alysson) e Sérgio; Vinícius e Clodoaldo (substituído por Rogério).


O Criciúma, porém, conseguiu reverter a desvantagem e venceu por 4 a 1 o segundo jogo. Com placar adverso e improbabilidade de virada, aos 40 minutos do segundo tempo, o atacante tricolor Vinicius se envolveu em discussão com o meia Juca, como descreveu o O POVO:


"Os dois trocaram agressões e o artilheiro cuspiu e deu um soco em Juca. Todos os atletas que estavam em campo, além dos reservas e comissões técnicas se envolveram na briga, transformando o gramado em um campo de batalha.


Sopapos e voadoras à parte, o sonho do Fortaleza se tornar campeão foi por água abaixo.".


Na campanha daquele ano, o tricolor eliminou o América/MG nas quartas de finais e o Paulista de Jundiaí nas semifinais. Contra o time paulista, conseguiu placar elástico de 6x1 fora de casa.


Mesmo com a derrota, o acesso à série A de 2003 estava garantido.


2004 - "Chegou a hora de subir"


(Foto: Arquivo O POVO)


O título da matéria assinada pelo jornalista Dilson Alexandre evidenciava o espírito de jogadores, torcedores e diretoria do Pici, apesar das poucas chances matemáticas de isso acontecer. O Fortaleza precisava vencer por mais de um gol de diferença.

O jogo no Castelão estava 1x0 para o Fortaleza até os 32 minutos do segundo tempo, quando o zagueiro Ronaldo Angelim, o "Magro de Aço", subiu e testou pro fundo da meta do goleiro Adinam.


Apito final, festa e invasão da torcida ao gramado. O time ainda comemorou em carreata, em cima de caminhão do Corpo de Bombeiros.


A torcida do Fortaleza invadiu o campo após o acesso heroico. (Foto: Marcos Campos em 12/12/2004)


Curiosidade:

Com o gol de cabeça, Angelim assinou de vez o nome na história do tricolor. Cinco anos depois, também em cabeçada, o caririense de Porteiras - a mais de 500 quilômetros de Fortaleza - viraria ídolo do Clube de Regatas do Flamengo, ao marcar o gol do sexto título brasileiro. Aquele time contava com o centroavante Adriano e o sérvio Petckovic.

2017 - Acesso à Série B


(Foto: Arquivo O POVO)

Após oito anos de martírio na Série C, o Fortaleza conseguiu o tão esperado acesso à segunda divisão do Campeonato Brasileiro. No primeiro jogo, no Castelão, o Leão venceu facilmente o Tupi (MG) por 2x0. Em Juiz de Fora, no jogo da volta, o arqueiro Marcelo Boeck fechou o gol, garantindo o acesso tricolor. O jogo foi 1x0.


(Foto: Arquivo O POVO)2018 - Campanha brilhante até aqui

O time de Rogério Ceni faz campanha até aqui histórica na série B, isolado na liderança com 57 pontos, seguido pelo Goiás, com 53 pontos. O Leão está muito perto de garantir o acesso à divisão de elite do futebol brasileiro.

O G4 ainda é formado por Avaí e CSA, ambos com 51 pontos.
← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial