-- ANUNCIE AQUI ! ---------------------------------------------------------------------------

14 abril 2019

Coco-babaçu é alternativa de melhoria de renda para produtores da Serra da Meruoca






Uma iniciativa da indústria cimenteira tem proporcionado a agricultores familiares da Serra da Meruoca, no município de Sobral, na região Norte do Estado, a oportunidade de incrementar o aproveitamento do coco-babaçu para gerar mais renda. Desde setembro do ano passado, a fábrica tem adquirido o coco in natura, que antes era descartado, para substituir parte do combustível fóssil no forno.

A Serra da Meruoca abrange tanto o município homônimo quanto as cidades de Alcântaras, Massapê e Sobral, localidades nas quais a maioria das famílias vive de programas governamentais, aposentadoria e agricultura, tendo a cadeia produtiva do babaçu como um complemento financeiro significativo.

Luiz Carlos Rodrigues Neves, presidente da Associação Comunitária Produtiva de Terra Nova, na Serra da Meruoca, conta que a comunidade extraía as amêndoas do babaçu para fornecer à indústria alimentícia e de cosméticos, que as utilizavam para fabricar óleo e sabão, mas a falência de uma indústria local prejudicou a comunidade.

Com a aquisição do coco pela Votorantim Cimentos, as famílias viram uma oportunidade de seguir em frente com a produção. Em geral, entre as cinco comunidades que cultivam coco-babaçu, foram negociadas, em um mês, 190 toneladas do fruto para a indústria, o que gerou uma renda efetiva de R$ 19 mil, compartilhada entre 40 beneficiários. "Hoje, 90% do fruto que sobra serve também para complementar a renda das comunidades. As famílias estão ganhando por semana o que antes levavam o mês todo para obter e isso é muito positivo. É uma nova perspectiva de vida, inclusive para os jovens que até então não tinham muitas alternativas de trabalho na região", pontua Luiz Carlos.






Expansão

Ainda neste ano, um complexo de beneficiamento do coco- babaçu será construído na região para as famílias intensificarem a produção de óleo e comercializarem para a indústria alimentícia e cosmética. A oportunidade é oferecida por meio do Programa ReDes, iniciativa do Instituto Votorantim e BNDES.

O objetivo é aumentar, após a instalação da ReDes, em 40% a renda dos beneficiários por meio do fortalecimento da cadeira produtiva do babaçu, qualificando os agricultores para profissionalizar as atividades de extração e fabricação de produtos diversos do fruto nativo.
← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial