-- ANUNCIE AQUI ! ---------------------------------------------------------------------------

16 maio 2019

Vereador de Mucambo é preso por destruir provas em investigações contra esquema de corrupção






Um vereador, ex-secretário do ex-prefeito de Mucambo, foi preso por destruir provas em investigações contra um esquema de corrupção ativa e lavagem de dinheiro. A prisão preventiva de André Luis de Sousa Gonçalves faz parte da terceira fase da Operação Sales, coordenada pelo Ministério Públuico do Ceará (MPCE). O mandado foi cumprido durante a madrugada desta quinta-feira (16) em Mucambo.

O vereador é investigado por envolvimento em um susposto esquema de fraude em procedimentos licitatórios de locação de veículos para a Prefeitura de Mucambo.
Em novembro, o ex-prefeito do município de Mucambo chegou a ser preso através da operação comandada por 'Sales'.

A prisão do vereador foi realizada por agentes da Delegacia Municipal de Pacujá e por promotores do Grupo de Ações Especiais do Combate ao Crime Organizado (Gaeco), através do mandado expedido pela Justiça do Ceará.

Os investigadores descobriram que o vereador é citado nas investigações por ser o responsável por regularizar a documentação dos veículos e era considerado uma pessoa de confiança do ex-prefeito. André ajustava a transferência dos carros para nome de outras pessoas, com o objetivo de esconder que eram de propriedades da Prefeitura.


Defesa

O vereador nega todas as acusações. O advogado David Fernandes Sousa Portela, que representa o vereador, afirmou que André Luis tinha o hábito de realizar o processo de transferência de veículos para amigos, mas que não integrava o suposto esquema na prefeitura de Mucambo. O advogado apontou ainda que, na época do caso, o vereador era adversário político do prefeito - informação conflitante da apontada pelos investigadores.

Uma audiência de custódia está marcada para a próxima segunda-feira (20) para analisar as circunstâncias da prisão de André Luis. Até lá, o vereador segue preso.

Operação Sales

A operação iniciou no dia 22 de novembro de 2018 e foram cumpridos 28 mandados de busca e apreensão nos municípios de Mucambo, Fortaleza, Sobral, Pacujá, Ubajara e Graça. Outros quatro mandados de prisão também foram cumpridos, sendo duas prisões preventivas e duas temporárias. Ao todo 100 policiais civis e 12 promotores de justiça participaram da ação.

A segunda fase aconteceu no dia 29 de novembro onde foram apreendidos veículos de propriedade do ex-prefeito Wilebaldo Melo Aguiar que faziam parte do esquema de locação e desvio de dinheiro público em Mucambo.

De acordo com o Ministério Público as investigações continuam.

DN 
← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial