-- ANUNCIE AQUI ! ---------------------------------------------------------------------------

07 janeiro 2020

Já choveu mais de um terço do previsto para janeiro no Ceará





No mês passado, foram contabilizados 63.9% de chuva a menos que a média (Foto: FÁBIO LIMA)

As chuvas do fim de dezembro e começo de janeiro ainda não são determinantes. Neste mês de pré-estação chuvosa, é difícil precisar como as precipitações devem se comportar no Ceará. A média histórica de chuvas em janeiro é de 98.7 milímetros. Até o dia 6, choveu 36 mm (36,4%).

No mês passado, foram contabilizados 11.4 milímetros de chuva no Ceará, 63.9% de água a menos do que a média, que é de 31.6 mm.

A dificuldade está na baixa previsibilidade dos sistemas meteorológicos que agem em janeiro. Conforme Raul Fritz, meteorologista da Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme), um destes agentes se chama Vórtice Ciclônico de Altos Níveis (VCAN). "Os vórtices ciclônicos só conseguem ser previstos com poucos dias de antecedência e aí não temos como saber como as chuvas vão se comportar". Conforme o especialista, há ainda o sistema Cavado de Alto Nível, também com baixa previsibilidade.

Os torós dos dias anteriores não se repetiram neste fim de semana. Entre 7 horas de domingo, 5, e 7 horas da segunda-feira, 6, a maior chuva aconteceu em Uruburetama. Foram apenas 29 milímetros, segundo a Funceme. Em Fortaleza foram apenas 13 milímetros (posto Castelão).

“A chuva não vai ser uma constante. Variar é natural”, resume o meteorologista da Funceme David Ferran. As precipitações recentes foram provocadas por áreas de instabilidades associadas à atuação de um Zona de Convergência de Umidade (ZCOU) - uma extensa faixa de nuvens que se vai da Amazônia até o sul do Brasil.

O prognóstico para a quadra chuvosa (fevereiro a maio) só deve ser anunciado na segunda quinzena deste mês. A Funceme antecipou, porém, que este início de semana no Ceará deve ter céu parcialmente nublado, enquanto algumas áreas do Estado têm chances de chuva.

A ZCOU traz alta umidade relativa do ar, que deve favorecer a formação de áreas de instabilidades principalmente no oeste do Ceará.

Para esta terça, 7, a previsão é de mais nebulosidade variável em todas as regiões, porém, com possibilidade de chuva na faixa litorânea, no Maciço de Baturité e no Cariri. Espera-se chuvas concentradas nos períodos da madrugada e manhã, de baixa intensidade. Já na quarta-feira, 8, há chance de precipitações no Centro-Sul do Estado, Maciço e nos litorais de Fortaleza e do Pecém.
Profetas da chuva

Está marcado para sábado, 11, em Quixadá (Sertão Central), o tradicional Encontro dos Profetas da Chuva, com participação de cientistas. Há alguns desses mestres da natureza garantindo, por suas observações, que a quadra chuvosa será positiva.

Os profetas são moradores da zona rural que criam previsões a partir do que observam sobre a natureza. É levada em consideração a transformação na atmosfera e no ecossistema, além da posição dos astros. Geralmente, os profetas aprendem as técnicas de observação com os avós e outros familiares, que perpassam os ensinamentos por gerações.
Abastecimento no Ceará

Os reservatórios cearenses têm 14,4% da capacidade do sistema hídrico - 2,70 bilhões de m³, conforme a resenha diária da Companhia de Gestão dos Recursos Hídricos (Cogerh) desta segunda, 6. O número é 35% maior do que o mesmo período do ano passado, quando registrava 10,71% da capacidade. Apesar do aumento, contudo, o cenário ainda é considerado preocupante. Principalmente tendo em vista a disparidade entre a carga armazenada nas bacias hidrográficas localizadas nas regiões Norte e Litoral se comparadas às do Centro-Sul do Estado.
← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial