-- ANUNCIE AQUI ! ---------------------------------------------------------------------------

13 dezembro 2020

Fortaleza perde para o Bragantino e soma três jogos sem vencer



Brangantino e Fortaleza se enfrentam pela 25ª rodada do Brasileirão (Foto: Márcio Persivo/FortalezaEC)

Com um primeiro tempo com atuação aquém, sem velocidade nas transições, e uma etapa derradeira equilibrada, o Fortaleza amargou derrota por 2 a 1 com o Red Bull Bragantino, neste sábado, 12, no estádio Nabi Abi Chedid, em Bragança Paulista, em jogo válido pela 25ª rodada da Série A do Campeonato Brasileiro. O Leão ficou atrás do placar, com gol de Luan Cândido na primeira etapa. O Tricolor conseguiu o empate ainda no tempo inicial com Juninho, de pênalti.

As equipes voltaram para a etapa final mais equiparadas e mantiveram o jogo aberto quase até o fim. Na busca pelo gol, Bragantino foi mais eficiente e garantiu a vitória aos 42 minutos com gol de Thonny Anderson.

Com a derrota, o Tricolor do Pici permanece com 30 pontos, e é ultrapassado pelo Massa Bruta, com 31 pontos. Com o revés o Leão soma três partidas sem vitórias.



Fortaleza volta a campo pela Série A próximo domingo, 20, no Castelão, às 20h30min, para encarar o rival Ceará, neste que será o sétimo Clássico-Rei de 2020.

O jogo

Com 30 pontos e vindo de dois tropeços em casa, o Fortaleza entrou com vontade de relembrar o 3 a 0 sobre o Bragantino, no primeiro turno. E antes mesmo que completar um minuto de jogo, Bergson já mandou a primeira finalização no travessão do gol defendido por Cleiton.

Em jogo pegado, a defesa do Leão falhou permitindo chegada rápida do Massa Bruta, que aos 12 minutos, forçou boa defesa de Felipe Alves, que mandou para escanteio. Cobrado por Arthur, o tiro de canto acabou convertido numa jogada com Luan Cândido, que ainda contou com um desvio decisivo no rosto de Carlinhos, abrindo o marcador no Nabi Abi Chedid.

O gol desorganizou o Tricolor, que teve até mesmo alguns episódios de irritação, valeu o puxão de orelha de Chamusca - neste ponto, o time da casa mantinha posse de bola superior, e o Fortaleza tinha mais dificuldade em construir ataques de perigo.

Aos 22, com cruzamento de David, o Leão desperdiçou boa chance: bola correu em frente ao gol, mas nem Bergson, nem Osvaldo conseguiram alcançar. Em outra oportunidade, David cruzou para finalização do camisa 11, forçando defesa em dois tempos de Cleiton.

Tranquilo com a vantagem no placar, o Bragantino tratou de amornar o jogo.Já o Leão, sem Romarinho, não imprimia velocidade nas transições. Espaçado em campo, o Tricolor não linkava a defesa ao ataque.

Quando a etapa inicial se encaminhava para o fim, o juiz Héber Roberto Lopes verifica o VAR em jogada no começo da grande área. Mariano Váquez tem o pé pisado por Ligger, e o árbitro, ao rever o lance, marcou pênalti a favor do Fortaleza. Juninho cobrou colocado do lado esquerdo do gol, enquanto Cleiton caiu à direita, e o Leão chegou ao empate.

O gol de empate deu confiança ao time do Pici, e na sequência, aos 47, Vázquez cruzou na área para o voleio de primeira de Osvaldo, mas pega mal, e bola vai para fora. Na jogada seguinte, Bergson tentou chute forte de fora da área. O arqueiro mandou para fora.



Na segunda etapa, com o Leão começando mais organizado e mais ligado na marcação, os times se concentravam na intermediária, buscando ambos espaços para se infiltrar. Aos 9 minutos, Artur cruzou na área, e Claudinho se esforçou para evitar a saída e mandar para o gol. Felipe Alves, com os pés, fez a defesa. Aos 11, a melhor chance, àquela altura do segundo tempo, foi do Leão, com David. O atacante avançou, se livrou da marcação e ficou cara a cara com Cleiton, mas demorou para definir, e foi desarmado.

Com o jogo equilibrado, aos 15 minutos da segunda etapa, a posse de bola se matinha parelha para os dois times. Buscando a velocidade que não conseguia imprimir até então, Chamusca lançou Yuri César e Wellington Paulista no lugar de Osvaldo e Bergson. A dupla teve chance ao 25, quando Yuri recebeu na área, mas cruzou fraco, buscando o camisa 9, e acabou sendo interrompido.

O Bragantino teve chance que se pôr à frente no placar aos 28 minutos. Em jogada pela direita, Lucas Evangelista bateu rasteiro no gol, e Felipe Alves espalmou.

Equiparadas, as equipes buscavam as metas adversárias, mantendo o jogo em aberto até o apito final. Foi o Bragantino que conseguiu alcançar o gol, aos 42 minutos. Aproveitando abertura da defesa, Thonny Anderson deu passe para Artur. O camisa 7 foi até a linha de fundo e tocou de volta para Thonny Anderson, que não desperdiçou e mandou para o gol, sem defesa para Felipe Alves, sacramentando a vitória do Massa Bruta.

O POVO 
← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial