-- ANUNCIE AQUI ! ---------------------------------------------------------------------------

03 dezembro 2021

Até fevereiro, Morro deve passar Bolsonaro nas pesquisas eleitorais , analisam presidentes de partidos




Presidente Bolsonaro e - ex-juiz e ex-ministro Sergio Moro, nome que desponta para representar a "terceira via"(foto: Carolina Antunes/PR)


Presidentes de alguns dos principais partidos do País atualizaram suas análises do cenário eleitoral que se formou nas últimas semanas, e estão prevendo que p ex-juiz Sérgio Moro (Podemos) tem chances reais de ultrapassar o presidente Jair Bolsonaro (PL) nas pesquisas de intenção de voto até fevereiro de 2022. As informações são da coluna Painel da Folha de S. Paulo.


Para os caciques das grandes siglas brasileiras, os contrastes entre os ex-aliados chamam atenção, pois enquanto Bolsonaro tem sua popularidade impactada negativamente pela crise política e social, o ex-ministro da Justiça vem se destacando ao participar de eventos públicos. Essas aparições de Moro estão fortalecendo a candidatura do ex-juiz da Lava Jato, analisam.

Os líderes informaram, em caráter reservado à coluna, que nos bastidores há ponderações de parlamentares bolsonaristas sobre qual caminho seguir, caso o cenário se concretize. Ou seja, conforme as lideranças, pode haver uma possibilidade de debandada, com alguns apoiadores do mandatário avaliando se pulam ou não do barco.



O avanço do ex-ministro nos levantamentos eleitorais tem incomodado visivelmente o chefe do Executivo, que se vê claramente afetado pelo crescimento de Moro. Na última pesquisa eleitoral, divulgada pelo Instituto Ipespe, em 26 de novembro, Moro já aparecia em terceiro lugar, com 11% das intenções de voto, contra 25% de Bolsonaro, que recuou três pontos percentuais.

No ato de filiação ao PL, o deputado federal e filho 03 do presidente, Flávio Bolsonaro (RJ), se referiu ao adversário político como "traidor". Já nesta quinta-feira (2), Jair Bolsonaro endossou as farpas e o chamou de palhaço e sem caráter, após Moro afirmar que o presidente comemorou quando Lula saiu da cadeia, em 2019.

O POVO 
← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial