Análise: Atuação do Ceará contra o Santos mostra que Léo Condé terá muito trabalho pela frente

 


Análise: Atuação do Ceará contra o Santos mostra que Léo Condé terá muito trabalho pela frente

Escrito por Vladimir Marques, vladimir.marques@svm.com.br 22:13 / 05 de Julho de 2024. Atualizado às 22:29 / 05 de Julho de 2024
O Vovô perdeu para o Santos por 1 a 0 no Castelão pela Série B mesmo com um jogador a mais desde os 17 minutos do 2º tempo
Legenda: O Ceará fez uma partida de muitos erros diante do Santos no Castelão
Foto: KID JUNIOR / SVM

O primeiro jogo de um treinador no comando de uma equipe é mais para observação, um ponto de partida para o início de um trabalho. Não dá nem para cobrar que a postura de um time mude, que o 'futebol' apareça como mágica.


Por isso não dá nem para cobrar nada de Léo Condé na estreia dele pelo Ceará contra o Santos na noite desta sexta-feira (5), por 1 a 0 no Castelão.

Mas dá pra sentenciar que ele terá muito trabalho pela frente no Ceará. No sentido de organizar o time, de dar um padrão.


Condé, com apenas 4 treinos no comando do time, manteve a formação inicial do jogo anterior contra o Ituano, vencido por 4 a 2 sob o comando de Anderson Batatais.

Ele quis manter a formação para dizer claramente que não dava pra fazer alterações ou mudanças drásticas em 4 treinos. "Joguem que eu vou observar".



Legenda: Léo Condé estreou pelo Ceará na noite desta sexta-feira contra o Santos
Foto: KID JUNIOR / SVM



E o que Léo Condé viu foi um Ceará desorganizado, ansioso, e desperdiçando as chances que apareciam.


Não que o Santos tenha feito uma partida excelente. Está mais para burocrática, sem nada demais, para um time que assumiu a liderança da Série B com a vitória.

O melhor em campo do Ceará foi Saulo Mineiro. Ele criou as melhores chances com chutes fortes que o goleiro Brazão espalmou. Pelo menos 3 chances assim e outras pra fora.

Ele até arriscou mais chutes do que precisava, mas Saulo e time estavam muito ansiosos.

Nem quando ficou com um a mais, aos 17 do 2º tempo, o Ceará foi capaz de criar uma pressão organizada em busca do empate.

Erick Pulga foi bem marcado, Aylon não rendeu mais uma vez, assim como os laterais foram muito mal: Rafael Ramos e Matheus Bahia.

Com o elenco que tem, Condé não conseguirá fazer muita coisa. Ele pode até melhorar um pouco com o que tem agora pelo conhecimento do elenco que terá, mas precisará de reforços. Pra ontem. O Ceará precisa agir na janela.

DN

Comentários